Agência Brasil (Fernanda Cruz) A Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) lançou dia 26, na capital paulista, um programa para disponibilizar R$ 50 milhões com objetivo de alavancar startups – ideia inicial de negócio que pode vir a gerar lucro – no país. Serão selecionadas 50 startups e cada uma receberá até R$ 1 milhão em recursos. O edital será publicado amanhã (27) no Diário Oficial da União.

Segundo Marcos Cintra Cavalcanti de Albuquerque, presidente da Finep, o projeto poderá chegar, futuramente, a até R$ 500 milhões. “Estamos lançando uma primeira fase para ir testando o modelo, mas já tem um volume razoável. Normalmente, programas de apoio a startups dão apoios financeiros bem menores, R$ 50 mil, R$ 100 mil, R$ 200”.

O evento de lançamento teve presença do ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab. “Conheço o tema com profundidade e a minha presença aqui significa o apoio muito forte do governo. Esta é uma das principais finalidades da Finep, apoiar projetos como estes. É inquestionável que será bem sucedido. Em breve, serão aportados mais recursos.”

Além do ministro, potenciais empreendedores acompanharam a reunião. Para Cintra, a receptividade foi muito positiva. “O projeto atende a uma carência do mercado. Empresas que estão nesta fase de vida, que se chama vale da morte, em que já desenvolveu a base científica do seu projeto, mas tem dificuldade de chegar no mercado, acabam morrendo. Este projeto é bem recebido porque atende empresas justamente nessa fase.”

Para participar, a startup precisa ter o projeto desenvolvido, com protótipo. Outras exigências são, no mínimo, seis meses de CNPJ, receita bruta de até R$ 3,6 milhões e trazer tecnologia inovadora. As startups devem estar relacionadas a temas como educação, cidades sustentáveis, jogos eletrônicos, energia, biotecnologia, química, tecnologias submarinas para petróleo e manufatura avançada.

Interessados podem se inscrever a partir de amanhã (27) até do dia 7 de agosto por meio do site. Numa primeira rodada, serão selecionadas 25 startups. O contrato será por opção de compra de ações e transforma a Finep em uma potencial acionista da empresa. A Finep poderá optar se tornar ou não sócia num prazo total de até três anos, podendo ser prorrogado por mais dois anos.

Para que startups não fiquem dependentes de recursos públicos, o projeto priorizará empresas aportadas por investidores-anjo, os quais receberão parte do retorno em excesso da Finep, com objetivo de ampliar o engajamento do investidor privado.