Jornal da Ciência – Um grupo de 54 pesquisadores brasileiros acaba de publicar um artigo na revista científica Perspectives in Ecology and Conservation, do grupo Elsevier, denunciando que os cortes drásticos no orçamento da ciência brasileira impõem riscos para a conservação da biodiversidade global. O artigo descreve o caso do Programa de Pesquisa em Biodiversidade (PPBio), do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações (MCTIC), que conta com mais de 600 pesquisadores associados, realizando pesquisas em mais de 90 localidades do País, conforme conta o professor da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Geraldo Wilson Fernandes, um dos autores do artigo.

“Temos uma malha de locais onde continuamente amostramos a dinâmica da biodiversidade e os serviços ecossistêmicos fornecidos pelo nosso capital natural (habitats, ecossistemas e biodiversidade), que estão sendo pulverizados pela falta de recursos.  Agora, tudo pode se perder. Não teremos como manter estes locais, conquistados com muita labuta e durante um período de mais de 10 anos”, lamenta o professor.

O artigo destaca que os sucessivos cortes orçamentários afetam de maneira radical programas de pesquisa sobre biodiversidade, fundamentais para o monitoramento e para a proposição de políticas de conservação ambiental e de desenvolvimento sustentável. De acordo a publicação, assinada por 54 cientistas, o PPBio é a maior rede de pesquisa em biodiversidade do Brasil e o seu desmantelamento comprometerá o Plano Estratégico de Biodiversidade 2011–2020 e, mais que isso, coloca em risco ecossistemas e o bem-estar humano. Os impactos perdurarão por muito tempo, afirmam.

“É através deste conhecimento que iremos planejar o uso racional e mais sustentável dos nossos recursos naturais. Sem ele, podemos continuar a cometer erros absurdos contra o meio ambiente e contra nosso próprio cidadão”, declarou Fernandes ao Jornal da Ciência.

O PPBio foi criado em 2004 com o objetivo de desenhar uma estratégia de investimento em ciência, tecnologia e inovação que aponte prioridades, integre competências em diversos campos do conhecimento e dissemine informações sobre biodiversidade que possam ser utilizadas para diferentes finalidades. “Os dados que relatam a importância e pioneirismo das nove redes que se espalham pelo território brasileiro estão claramente mostrados no artigo, mas ressalta-se ainda que o PPBio e esta equipe invejável, que tem desenvolvido a ciência do Brasil e aprimorando know-how, estão severamente ameaçados com a política obtusa dos nossos governantes”, diz o pesquisador.

O artigo destaca ainda que, apesar dos esforços do Brasil internacionalmente reconhecidos para alcançar os Objetivos de Desenvolvimento do Milênio da ONU, os recuos em questões ambientais, por consequência das politicas do atual governo, impactam negativamente no compromisso do País com os objetivos de desenvolvimento sustentável. “Acabar com programas como o PPBio, na tentativa de resolver uma crise orçamentária, é uma opção míope que reduzirá criticamente a capacidade do País para responder aos desafios presentes e futuros, não apenas no setor ambiental, mas em todos os aspectos da sociedade”, alertam os pesquisadores no artigo.

Leia o artigo na íntegra: Dismantling Brazil’s science threatens global biodiversity heritage

Daniela Klebis – Jornal da Ciência