Universidades do RS, SC e PR fazem evento para mostrar a pesquisa em biotecnologia na região sul do país

Nos últimos anos, tem se ampliado a atuação das universidades brasileiras como incentivadoras do empreendedorismo e da inovação. No muito que ainda há por fazer está o trabalho de articulação entre pesquisadores e diferentes agentes do sistema, como potenciais usuários de novas tecnologias, agências de fomento e investidores. Para avançar em direção a esse objetivo, a Rede SulBiotec, formada por universidades dos Estados do Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Paraná, realizará nos dias 8, 9 e 10 de agosto o Congresso SulBiotec, na cidade de Canelas (RS) (veja o programa aqui).
A programação do Congresso reúne representantes do setor privado (entre os quais Associação Brasileira de Biotecnologia Industrial, ABBI, Associação Nacional de Biotecnologia e Ciências da Vida, ANBIOTEC, Biotechnology Inovation Organization, BIO-USA, Cristália, Cargill) e integrantes de entidades governamentais (MCTIC, Embrapii).
Além de palestrantes das universidades da região sul, como UFPR, UFSC, UFRGS, UFPEL, o encontro tem a participação de pesquisadores da USP e UNICAMP.
No primeiro dia, um painel reunirá integrantes das quatro outras redes regionais formadas no país a partir de 2011, RENORBIO, Rede Bionorte, Rede Pró Centro-Oeste e Rede Biotecmar.
O coordenador da Rede SulBiotec, Odir Antônio Dellagostin, explica que o encontro busca ampliar a sinergia entre os diversos grupos envolvidos com a biotecnologia, na região e no pais, estimular a criação de novas empresas e destacar o potencial das universidades locais nessa área. Formalizada em 2014, a SulBiotec foi planejada com uma diferença em relação às suas congêneres. Em geral, as redes regionais estruturaram-se em torno de programas de pós-graduação, alguns recém-criados, como uma forma de ligar pesquisa e desenvolvimento tecnológico.
No caso da região sul, essa base acadêmica já estava consolidada, inclusive com dois cursos de pós-graduação em biotecnologia, das Universidades Federais do Paraná e de Pelotas, com a avaliação máxima da Capes. Em busca de uma estrutura que pudesse atuar de forma pró-ativa, os organizadores optaram por criar uma pessoa jurídica na forma da Associação SulBiotec, à qual estão ligados universidades, empresas e potenciais empreendedores. Hoje, existem vinte empresas que integram a Associação. Da parte das universidades, essa estrutura conta com 12 cursos de pós-graduação e 53 laboratórios focados em áreas como saúde humana e animal, biotecnologia industrial, vegetal e ambiental.

Informações_250718