…na Espanha, amplia-se o ecossistema biotec; nos EUA, impressão 3D abre nova frente para mercado de produtos florestais

MeetingPack2019, na Espanha, mostrou os últimos avanços da indústria mundial em reciclagem de plástico

Realizada nos dias 29 e 30 de maio, em Valência, a quarta edição da MeetingPack levou ao público o crescente número de lançamentos da indústria de embalagens e de fabricantes de alimentos que buscam a redução do uso do plástico convencional. Entre os destaques, embalagens com duas temperaturas, sacolas e garrafas com alto grau de material reciclável e estratégias de grandes empresas como a Danone e Unilever. Veja aqui.

Pesquisadores alemães produzem enzimas que completam o processo de reciclagem do plástico

Equipe de pesquisadores das universidades de Greifswald e Helmholtz-Zentrum-Berlin (HZB) descobriram a estrutura 3d de uma enzima chamada MHETase, que tem capacidade para “digerir” o plástico. Em combinação com uma segunda enzima a PETase, ela consegue quebrar o plástico PET (Polietileno tereftalato) em seus componentes básicos, que podem ser reutilizados para produzir novo plástico.
De acordo com os pesquisadores, a utilização dessas enzimas pode criar o processo perfeito de bioreciclagem do plástico, para que ele seja refeito sem resíduos, eliminando o o uso de componentes do petróleo.Veja aqui a notícia.

Voo para o Planeta, da United Airlines, usou combustível sustentável para celebrar Dia Mundial do Meio Ambiente

A United Airlines demonstrou no Dia Mundial do Meio Ambiente (5 de junho) os recursos que a companhia vem desenvolvendo para alcançar a aviação sustentável. O Voo para o Planeta, que foi de Chicago a Los Angeles, utilizou combustível para aviação de fontes sustentáveis, práticas que eliminam resíduos da cabine, de compensação de carbono e eficiência operacional. Veja aqui

Como a Espanha está construindo um forte ecossistema de biotecnologia

De acordo com reportagem da publicação Labiotech, a Espanha vive hoje um momento de forte expansão na área de biotecnologia, que teve início há cerca de dez anos, e que se concretiza com o interesse das empresas de capital de risco em participar desse processo de crescimento. A revista eletrônica entrevistou o sócio da empresa de venture capital Ysios Capital, Raúl Martín-Ruiz. Ele conta que durante muito tempo, embora os investidores internacionais soubessem que se fazia na Espanha ciência de boa qualidade e o país tivesse instituições de pesquisa fortes, isso não se traduzia em investimentos.
O dirigente da Ysios Capital nota também que o país pode se beneficiar com o desenolvimento de uma mentalidade acdêmica mais aberta a aplicações industriais. Veja aqui o texto e o vídeo com a entrevista.

Nos EUA, impressão 3D abre nova frente para mercado de produtos florestais

Pesquisa que reúne colaboradores da Universidade do Maine e do Labroatório Nacional Oak Ridge, do Departamento de Energia dos EUA, busca criar artefatos de madeira com o emprego de impressoras 3D e abrir um novo mercado de produtos florestais. A tecnologia de impressão 3D é aplicada para confeccionar produtos como cascos de barcos, abrigos, componentes de construção e pás eólicas. Veja aqui a notícia da Biofuel Digest

Setor de bioeconomia da Europa define a visão de sociedade circular para 2050

O Bio-Based Industries Consortium divulgou, no final de maio, relatório em que apresenta a visão de protagonistas da indústria de base biológica da Europa sobre a evolução da bioeconomia na região, até 2050. Um dos pontos do relatório nota que há necessidade de se estabelecer uma ponte entre as instituições educacionais e o setor de bioeconomia.
O estudo ressalta quatro eixos principais que devem orientar esse processo nos próximos anos. São eles: o planejamento para promover a segurança alimentar; ir ao encontro da crescente demanda das populações por produtos sustentáveis, a atenção para como o setor pode contribuir para um planeta sustentável e a visão necessária para a criação de empregos na sociedade circular da bioeconomia. Veja aqui a notícia da Bio Market Insights