Pesquisa para Inovação (Elton Alisson) – A biomassa de resíduos agrícolas, como o bagaço da cana-de-açúcar, pode ser utilizada como matéria-prima para dar origem a produtos químicos finos. Para isso, porém, é preciso desenvolver tecnologias competitivas em comparação com os processos empregados hoje pela indústria petroquímica para obter esses compostos de alto valor para aplicações especializadas.

Um grupo de pesquisadores do Brasil e do Reino Unido conseguiu avançar nessa direção ao desenvolver uma nova rota biotecnológica simplificada para transformar tanto o bagaço da cana como a palha de trigo em produtos químicos finos. Os compostos têm aplicações nas indústrias alimentícias, de cosméticos e farmacêuticas, entre outras. Os pesquisadores, agora, buscam parceiros interessados na viabilização e no desenvolvimento comercial da tecnologia. Veja a íntegra da matéria aqui

Veja também
Governo do AM discute projeto do Distrito Agroindustrial de Rio Preto da Eva
Manaus- Durante reunião nesta terça-feira (28), na sede do governo, na Compensa II, Zona Oeste de Manaus, o governador discutiu com representantes da prefeitura do município, da Suframa, do setor privado e das secretarias envolvidas sobre o projeto arquitetônico elaborado pela Companhia de Desenvolvimento do Amazonas (Ciama) para o Darpe.
Piloto do plano de expansão da atividade econômica para as cidades do interior, o novo centro de produção e de negócios tem previsão inicial de investimento na ordem de R$ 150 milhões e deve gerar cerca de 10 mil empregos diretos no município de Rio Preto da Eva, por meio da instalação de um polo de agroindústrias, exploração mineral e de turismo, além de um centro técnico de qualificação pessoal.
Veja aqui a reportagem do jornal Em Tempo.