Autor: Interface CTI

Projeto SUCRE: como transformar a palha da cana-de-açúcar em energia elétrica

  No último dia 5 de dezembro, um encontro em Campinas reuniu profissionais da indústria da cana-de-açúcar para conhecer os resultados de um trabalho iniciado há quatro anos. O projeto SUCRE, sigla da expressão em inglês Sugarcane Renewable Electricity, soma pesquisas, análises e desenvolvimentos destinados a ajudar os agricultores a transformar a palha, resíduo da colheita da cana-de-açúcar, em eletricidade. O projeto revela o interesse de parte da agroindústria de se alinhar ao mundo da bioeconomia em uma área onde esse setor tem tudo para ser eficiente. Maior produtor mundial, o Brasil tem previsão de colher, na safra 2019/20,...

Leia mais

Bioeconomia na Amazônia é tema de evento na UFPA

(Ascom UFPA) A Floresta Amazônica é a maior floresta tropical do mundo, com uma grande biodiversidade, e a UFPA está em um dos estados brasileiros que compõem este bioma. Pensando nisso, será realizada na universidade a I Jornada de Ciência e Bioeconomia da Amazônia. O evento acontecerá entre os dias 18 e 20 de dezembro, no Instituto de Ciências Biológicas (ICB). O período de submissão de trabalhos está aberto até o dia 12 de dezembro. A jornada tem como objetivo fomentar a integração entre professores, pesquisadores, estudantes e empresários dos setores público ou privado através da divulgação de pesquisas e empreendimentos na área da Biotecnologia e engenharia de bioprocessos no estado do Pará. Sob a temática “Desenvolvimento e valorização de bioprodutos da Amazônia”, o evento busca contribuir para o desenvolvimento da Bioeconomia da região com foco no uso sustentável do capital natural. “Vivemos em um dos biomas de maior biodiversidade do planeta e, portanto, estudar e transformar esta biodiversidade em produtos de ampla aplicação tecnológica, respeitando a sustentabilidade e a floresta, é de grande importância para o desenvolvimento da região”, conta o professor Rafael Baraúna, coordenador do evento. Veja aqui o site do evento...

Leia mais

II Feira de Inovação Biotecnológica do IMPG e FIOCRUZ – 10 e 11/12

A II Feira de Inovação Biotecnológica do Instituto de Microbiologia Paulo de Góes, IMPG, / FIOCRUZ (10 e 11/12) é uma oportunidade de apresentar a inovação dos projetos, produtos e métodos de pesquisa desenvolvidos no Instituto, na Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e na Fundação Oswaldo Cruz (FIOCRUZ), contribuindo para sua divulgação e aplicabilidade. A Merck Life Science, juntamente com a Agência UFRJ de Inovação e o Parque Tecnológico irão ressaltar a importância da aproximação da academia com o setor produtivo. Veja aqui mais informações sobre o...

Leia mais

Emerge Labs BRF apoia projetos na área de Desperdício e Segurança de Alimentos

O Programa Emerge Labs BRF tem como objetivo levar pesquisas ou tecnologias da bancada até o mercado e busca soluções para questões relacionadas a desperdício e segurança de alimentos. O Programa é gratuito e vai criar oportunidades de relacionamento e parcerias com a BRF, uma das maiores empresas de alimentos do mundo. O suporte ao desenvolvimento de projetos inclui formação na modelagem do produto, informações sobre propriedade intelectual, modelagem de pitch e evento de apresentações. As inscrições vão até o dia 6 de dezembro. Veja aqui mais informações para inscrição no site do Emerge...

Leia mais

Com foco em ações futuras, cientistas debatem o panorama atual da biodiversidade no Brasil

Agência FAPESP (Allison Almeida) – Ao longo dos anos de 2018 e 2019, a Plataforma Brasileira d Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos (BPBES) – grupo de trabalho formado por mais de 80 cientistas de todo o país – lançou o 1º Diagnóstico Brasileiro para Biodiversidade e Serviços Ecossistêmicos e também um conjunto de relatórios temáticos que abordam questões como mudanças climáticas, conservação da água, restauração de paisagens e polinização. Com o objetivo de discutir as principais conclusões desses documentos com a comunidade acadêmica e a sociedade em geral, foi realizado em Campinas, no dia 4 de novembro, o encontro “Biodiversidade não é problema, é solução!”. O evento ocorreu no Centro de Convenções da Universidade Estadual de Campinas (Unicamp). “O momento político é extremamente oportuno para este debate. O Brasil teve de enfrentar este ano dois grandes problemas ambientais: a questão das queimadas – que era previsível e, portanto, evitável – e o derramamento de óleo, uma fatalidade que acaba de atingir a costa brasileira. Esses eventos mostraram como o país está despreparado para lidar com situações críticas rapidamente, de modo a mitigar os efeitos danosos ao ambiente”, disse Carlos Joly, membro da coordenação da BPBES e também do Programa BIOTA-FAPESP. Por meio de uma revisão crítica da literatura científica e de outras formas de conhecimento, como o tradicional e o indígena, os autores do 1º Diagnóstico traçaram um panorama atual...

Leia mais

Lançado jeans de algodão colorido que gasta menos água na fabricação

O algodão naturalmente colorido BRS Rubi, desenvolvido pela Embrapa, será matéria-prima para a confecção do denim, tecido usado na produção de jeans. Por prescindir do processo de tingimento, o novo jeans usa menos água em sua fabricação comparado ao tradicional índigo blue. Com lançamento marcado para o próximo dia 16 de novembro, em São Paulo, na semana de moda sustentável Brasil Eco Fashion Week, o produto será o primeiro jeans brasileiro fabricado a partir de algodão colorido. Ele foi idealizado pela empresa paraibana Natural Cotton Color, em parceria com o Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai), por meio de um edital de inovação de 2016. Veja aqui a íntegra da matéria do Boletim da...

Leia mais

Defensivos biológicos certificados no controle de pragas e doenças na agricultura orgânica

(Ascom Koppert) A agricultura orgânica é realizada sem a utilização de insumos sintéticos, radiação ionizantes e organismos geneticamente modificados. Para tanto, os produtores orgânicos utilizam estratégias como a rotação de culturas, cultivo mecânico, adubação verde, estercos animais, compostagem e novas tecnologias provenientes do controle biológico. O manejo integrado de pragas, que utiliza os defensivos biológicos, reduz a população de pragas e doenças, mantendo essas populações em níveis aceitáveis de acordo com os princípios do sistema orgânico de produção agropecuária. Porém, de acordo com a legislação brasileira, para a comercialização dos produtos orgânicos, é necessário que seus insumos sejam certificados por órgãos credenciados pelo Ministério da Agricultura Pecuária e Abastecimento (MAPA). A Koppert possui quatro produtos certificados pelo IBD, a maior certificadora da América Latina de produtos orgânicos e a única certificadora brasileira com credenciamento da Federação Internacional de Movimentos da Agricultura Orgânica (IFOAM). Esses biodefensivos são: Boveril, Metarril, Diplomata e Trichodermil, inseticidas e fungicida microgiológicos. Além disso, seus demais produtos também são indicados para esse tipo de cultivo. Agricultura orgânica no Brasil e no mundo De acordo com o diretor comercial da Koppert do Brasil, Gustavo Herrmann, o mercado de produtos orgânicos está crescendo muito no país e no mundo e é de extrema importância estar inserido nessa realidade. “Ajudamos a agregar valor aos produtos agrícolas, além de ajudarmos a agricultura a ser mais sustentável e em harmonia com...

Leia mais

Com tecnologia totalmente brasileira, vacina da dengue chega à última fase de testes

(Jornal da USP – Fabiana Mariz) Segundo dados do Ministério da Saúde, entre dezembro de 2018 e agosto de 2019 foram notificados 1,4 milhão de casos de dengue no Brasil ‒ um aumento de 600% em relação ao mesmo período do ano anterior. Apesar das campanhas de prevenção, a doença atinge milhões de brasileiros todos os anos, podendo ser fatal em alguns casos. A boa notícia é que em breve deve estar disponível uma nova arma no combate à doença. A vacina contra a dengue, produzida pelo Instituto Butantan, já está na última fase de testes. Nesta etapa, diferentes centros de pesquisa clínica no país todo participam da realização de ensaios clínicos, feitos com voluntários para comprovar a segurança e eficácia da vacina. Como explica Neuza Frazatti Galinna, gerente de projetos de vacinas virais do Instituto Butantan, uma vez comprovada a eficácia, o relatório do estudo é entregue à Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), que avalia os resultados para que posteriormente seja possível fazer lotes comerciais do produto. Confira abaixo, nos vídeos da primeira reportagem do Especial Epidemias, os detalhes da produção da vacina da dengue e como têm sido os testes na etapa final e 1,4 milhão de casos de dengue no Brasil entre dezembro de 2018 e agosto de 2019 veja aqui o vídeo do Jornal da...

Leia mais